terça-feira, 26 de junho de 2012

Coordenadora do Cermangue alerta sobre desaparecimento dos mangues do Brasil

São Luís, 26 de junho.
Por Paiva Silva
            Em entrevista concedida ao Jornal da Ciência durante a Rio+20, a coordenadora do Centro de Recuperação de Manguezais-Cermangue alertou sobre os riscos de desaparecimento dos mangues brasileiros.
Confira a matéria.
           Essenciais para a produção de frutos do mar, água doce e aves, os mangues - áreas de florestas inundadas pelas marés - estão desaparecendo no Brasil em decorrência do desmatamento das florestas e poluição dos mares. O alerta é de Flavia Mochel, professora da Universidade Federal do Maranhão, durante a palestra sobre o tema "O Mangue está na lama", em uma alusão à grave situação em que se encontram os mangues. Promovido pela SBPC, o evento foi realizado no dia 20, no Armazém 4, do Pier Mauá, zona portuária do Rio de Janeiro, durante a Rio+20.
           Segundo estima a pesquisadora, cerca de 50%, em média, dos mangues brasileiros estão comprometidos na maioria das capitais do País.
          Também presidente da Comissão Técnica sobre Manguezais e representante da SBPC, Flávia alerta sobre a importância de conservar os manguezais que são fontes de emprego e renda gerados pela produção de várias espécies de peixes e frutos marinhos, como caranguejos, moluscos, siri, marisco, ostra e camarão, dentre outros. Produzem também alimentos para aves, como o guará, cujos ninhos são feitos no alto das árvores à beira dos manguais e lamaçais litorâneos. Segundo ela, a destruição do mangue interfere em toda cadeia econômica gerada pelos manguezais.
          "Os mangues produzem muitos frutos, não necessariamente frutos do mar. Quando os mangues são destruídos se destrói também a produção de frutos do mar. Isso afeta a economia, provocando desemprego em várias classes de trabalhadores deste País.", disse ela, para uma plateia composta de estudantes, cientistas e pesquisadores.
             Nascida no Rio de Janeiro, a pesquisadora declarou que o guará foi extinto na cidade na década de 1960 e o caranguejo corre o mesmo risco de extinção diante da poluição marítima, desmatamento, erosão e habitação em áreas irregulares. Essa tendência é seguida pelos litorais de São Paulo (Santos) e Salvador. No Maranhão, onde concentra a maioria dos mangues do Brasil, há uma redução significativa dessas áreas úmidas, segundo alertou. Conforme ela, os mangues são os ecossistemas mais vulneráveis às alterações climáticas.
Código Florestal - De acordo com Flavia, tal situação pode ser agravada pela nova Legislação Ambiental do Brasil que estabelece percentuais de desmatamento de áreas florestais preservadas, abrindo margem para o desmatamento legalmente de mangues. Reforçando a opinião de outros cientistas, ela destaca que os mangues são Áreas de Preservação Permanente (APPs).
          Ela considera um absurdo o texto do Código Florestal, em andamento, permitir, nas áreas dos manguezais, a construção de tanques para o cultivo predatório de espécies exóticas de camarão para atender ao mercado, permitindo a destruição dos outros frutos marinhos. "Essa não é uma produção de alimentos sustentáveis", disse. 
Fonte:Viviane Monteiro - Jornal da Ciência



segunda-feira, 25 de junho de 2012

Cermangue inaugura Ecoteca em Apicum-Açu

São Luís, 25 de junho.
Por Paiva Silva


            No dia 08 de junho, o Centro de Recuperação de Manguezal-Cermangue esteve na sede do município de Apicum-Açu, onde participou da inauguração da Ecoteca Municipal, que é uma das ações do Programa Manguezal _ uma parceria da Universidade Federal do Maranhão com a Secretaria de Meio Ambiente do município.
            A inauguração da Ecoteca estava dentro da programação da Semana do Meio Ambiente no município, e contou com a participação de autoridades locais e da Universidade Federal do Maranhão, representada pela Professora Dra. Flávia Mochel.

             A ecoteca de Apicum-Açu, uma ampliação da biblioteca municipal, conta com um grande acervo ambiental, com livros, cds, dvds e jogos. Para Jacyara Corrêa, integrante do Cermangue, “a aquisição da ecoteca é de grande relevância para o município, pois propicia aos usuários uma quantidade maior de material lúdico e científico, voltado principalmente à temática ambiental.”

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Cermangue participa da Rio+20

São Luís, 20 de junho.
Por Paiva silva



           O Centro de Recuperação de Manguezais-Cermangue está no Rio de Janeiro participando da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20).
        A Professora Dra. Flávia Mochel, coordenadora do centro, participa hoje (20), da conferência “O mangue está na Lama”, como palestrante representante da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência-SBPC e, no dia 23, ministra a oficina “O futuro dos Manguezais”, às nove horas, no Teatro Maria Clara Machado, na Gávea.
            A Rio+20, que teve início no dia 13 e vai até o dia 22 de junho, é assim conhecida porque marca os vinte anos de realização da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio-92) e deverá contribuir para definir a agenda do desenvolvimento sustentável para as próximas décadas.
            A proposta brasileira de sediar a Rio+20 foi aprovada pela Assembleia-Geral das Nações Unidas, em sua 64ª Sessão, em 2009.

terça-feira, 19 de junho de 2012

"Reciclando Ideias": Uçá _ mangues do Piauí


São Luís, 19 de junho.
Por Paiva Silva
      O quadro Reciclando Ideias desta semana traz o documentário Uçá _ Mangues do Piauí, que trata sobre o caranguejo-uçá em seu habitat natural: o mangue.
            O vídeo traz temas relacionados à atividade de cata ao crustáceo no Delta do Parnaíba, o comércio nas cidades adjacentes, mostra a riqueza da diversidade biológica do mangue, além de "denuncias" sobre a realidade da exploração de forma não-sustentável e, ações realizadas em prol do mantimento da espécie e do ecossistema manguezal, o que o tornam um produto defensor do meio ambiente. 

            Vale a pena conferir!

video

Categoria:

Tags:

Licença:

Licença padrão do YouTube


quinta-feira, 14 de junho de 2012

Cermangue é contemplado com bolsas de extensão

São Luís, 14 de junho.
Por Paiva Silva

            O centro de Recuperação de Manguezais-Cermangue teve a sua proposta aceita pelo Programa de Bolsas de Extensão-Proex/UFMA 2012/2013. O centro foi contemplado com duas bolsas que serão encaminhadas às alunas Jacyara Corrêa e Priscila Coelho, ambas graduandas do curso de Oceanografia da UFMA e integrantes do projeto desde a sua fundação. 
Jacyara Corrêa                                   Priscila Coelho
            Recuperação de Manguezais em áreas degradadas na Zona Costeira do Estado do Maranhão: Educação Ambiental Comunitária foi o projeto inscrito na seleção. O resultado final do edital de seleção foi divulgado nesta terça-feira, 12 de junho.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Cermangue participa da Semana do Meio Ambiente em Apicum-Açu

São Luís, 13 de junho.
Por Paiva Silva

            Nos dias 08 e 09 de junho, o Cermangue participou da Semana do Meio Ambiente, no município de Apicum-Açu. A programação, promovida pela Secretaria de Educação, contou com feiras, apresentações de alunos da educação infantil e do ensino fundamental da rede pública, o cine socioambiental "Curta o Mar" e a inauguração da Ecoteca Municipal.
            Na sexta-feira (08), foi realizada a culminância das escolas de ensino infantil, que levaram para a Praça Três Poderes a feira da criançada, com trabalhos originados a partir das oficinas oferecidas aos professores pelo Programa Manguezal. E no sábado, foi a vez das escolas de ensino fundamental apresentarem paródias, poesias e exposições, todos abordando o tema “Manguezal”.
            O Cermangue e o LAMA também tiveram stand, com amostra de resultados de pesquisa e exposição de conchas do litoral apicuense. Para Jacyara Corrêa, integrante do centro, “as espécies chamaram a atenção dos visitantes, que saíram com conhecimento mais aprofundado sobre os organismos encontrados no litoral do município”.
            Outras matérias sobre a Semana do Meio Ambiente em Apicum-Açu, você confere aqui, nos próximos dias.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Cermangue recebe prêmio da Fundação Alcoa

São Luís, 06 de junho.
Por Paiva Silva
                       Flávia Mochel recebendo o prêmio do presidente mundial da Alcoa.
                        À esquerda o Reitor da UFMA, Natalino Salgado e à direita, a presidente 
 da Fundação Sousândrade, Maria do Rosário.

          O Centro de Recuperação de Manguezais-Cermangue, recebeu nesta quarta-feira (06), um prêmio de reconhecimento, concedido pela Fundação Alcoa, pelo trabalho que desenvolve no ecossistema manguezal e as ações de educação ambiental na comunidade. O cheque simbólico, no valor de 150 mil dólares, foi entregue à coordenadora do Centro, Doutora Flávia Mochel, pelo presidente mundial da Alcoa, Klaus Kleinfeld.
            Klaus, que está de passagem pelo Brasil, fez questão de entregar o prêmio pessoalmente, e disse está maravilhado com o projeto “já havia ouvido falar muito do manguezal e do trabalho que este centro desenvolve, mas gostaria de conhecer de perto. Acho muito legal essa cooperação de órgãos locais, pois são conhecedores da realidade. E o mais bacana é que não seja apenas uma, mais várias instituições trabalhando juntas nisso”.
            Flávia Mochel agradeceu à Fundação Alcoa, e disse ficar muito honrada com a premiação. Disse que o dinheiro irá contribuir muito para o financiamento dos projetos que o centro desenvolve. E completou: “apenas a pesquisa ou a gestão pública isoladas não bastam para se construir uma sociedade sustentável. É necessário que estas duas andem aliadas com a sociedade de modo geral para que isso aconteça”.
           Dentre outras autoridades presentes na solenidade, estavam também, a presidente da Fundação Sousândrade, Maria do Rosário, o diretor de operações da Alumar, Nilson Ferraz,  o Gerente regional de Meio Ambiente e Segurança do Trabalho da Alcoa, Domingos Campos,  o presidente da Alcoa da América Latina e Caribe, Franklin Feder e o Reitor da Universidade Federal do Maranhão, Dr. Natalino Salgado Filho, que destacou a importância da pesquisa para a universidade e a realização da 64ª reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência-SBPC, a ser realizada em julho deste ano, na UFMA.


terça-feira, 5 de junho de 2012

Dia Mundial do Meio Ambiente


São Luís, 05 de junho.
Por Paiva Silva


           Hoje, 05 de junho comemora-se o dia mundial do meio ambiente. A data foi escolhida em 1972, em razão de um encontro promovido pela ONU (Organização das Nações Unidas), a fim de tratar de assuntos ambientais, que englobam o planeta, mais conhecido como conferência das Nações Unidas.
            A conferência reuniu 113 países, além de 250 organizações não governamentais, em que a pauta principal abordava a degradação que o homem tem causado ao meio ambiente e os riscos para sua sobrevivência, de tal modo que a diversidade biológica deveria ser preservada acima de qualquer possibilidade.
            A importância da data está relacionada às discussões que se abrem sobre a poluição do ar, do solo e da água; desmatamento; diminuição da biodiversidade e da água potável ao consumo humano, destruição da camada de ozônio, destruição das espécies vegetais e das florestas, extinção de animais, dentre outros.
         Nesta data, o Cermangue reverencia todas as pessoas, órgãos e instituições que se dedicam à preservação do meio ambiente, e convida todos a refletirem sobre o seu papel na construção de um planeta sustentável, onde cada um pode, ao seu modo, colaborar. Se cada cidadão fizer a sua parte, o mundo será transformado e as gerações futuras viverão melhor.

segunda-feira, 4 de junho de 2012

DEOLI realiza a I Semana de Oceanografia da UFMA

São Luís, 04 de junho.
Por Paiva Silva


           O Departamento de Oceanografia e Limnologia da UFMA (Deoli) realiza a I SEOC-UFMA (Semana de Oceanografia da Universidade Federal do Maranhão) com o tema “Oceanógrafo: o profissional e os desafios do futuro”. O evento que teve início hoje se estende até quarta-feira, dia 06.
            Durante os três dias do evento será discutida a importância do Oceanógrafo no Estado, bem como a sua atuação frente aos desafios nas áreas da Oceanografia biológica, química, física e geológica, assegurando o uso dos recursos naturais, tendo em vista as necessidades das gerações atual e futura.
            A abertura, as palestras e o Cine Curta o Mar acontecem no auditório central da UFMA. Já os minicursos serão ministrados nas dependências do Laboratório Hidrobiologia _ Labohidro.
          O Centro de Recuperação de Manguezais- Cermangue estará presente apresentando palestras, minicursos e o Cine Socioambiental Curta o Mar.